O Bé-a-bá do Sertão - Paraíba - Escultura de Jackson do Pandeiro será inaugurada na capital paraibana
Cultura e Lazer 31.08.2011 - Reconhecimento ao talento:

Escultura de Jackson do Pandeiro será inaugurada na capital paraibana

     
Compartilhe

Escultura de Jackson do Pandeiro ser inaugurada na capital paraibanaJ. Maciel assina escultura de Jackson do Pandeiro.


João Pessoa(PB) - Nascido aos 31 de agosto de 1919, em Alagoa Grande, José Gomes Filho, o rei do ritmo Jackson do Pandeiro, se estivesse entre nós completaria hoje 92 anos de vida. Mas, por sua vasta obra musical ele continua vivo, aliás, é um imortal da música popular brasileira.



Em reconhecimento ao seu talento, ao legado cultural que deixou para a Paraíba, o Nordeste, o Brasil e o Mundo, porque a boa música é universal, Jackson do Pandeiro ganhará uma escultura fundida em bronze, uma iniciativa muito feliz da prefeitura de João Pessoa que vai inaugurá-la muito em breve. Conseguimos, em primeira mão, fotos da escultura de Jackson do Pandeiro sendo finalizada no Espaço J. Maciel, em Olinda-PE, As fotos foram enviadas por Miguel Falcão, que trabalha com J. Maciel, o escultor.



A obra é assinada pelo escultor pernambucano J. Maciel(Foto acima). Ele revelou à reportagem de A União, em primeira mão, que a escultura do rei do ritmo tem 1,80 m, pesa cerca de 700 quilos e é de bronze castanho. J. Maciel revela que a escultura é interativa, o público poderá posar para fotografia, por exemplo, a exemplo do compositor Livardo Alves, que a prefeitura colocou no Ponto de Cem Réis, centro da cidade.


O artista trabalhou três meses na produção da obra de arte que imortalizará em uma praça da capital paraibana um dos mais completos nomes da música nordestina e brasileira. A prefeitura ainda estuda um local para colocar Jackson do Pandeiro interagindo com o público. Aqui vai nossa sugestão: O Ponto de Cem Réis seria um ambiente adequado, da mais visibilidade à obra. No coração da cidade circula muita gente.



Jackson do Pandeiro gravou em 1953, com 35 anos, o seu primeiro grande sucesso: "Sebastiana", de Rosil Cavalcanti. Jackson morreu aos 62 anos, no dia 10 de julho de 1982, na cidade de Brasília, em decorrência de complicações de embolia pulmonar e cerebral. Seu corpo foi enterrado em 11 de julho de 1982 no Cemitério do Cajú na cidade do Rio de Janeiro. Em dezembro de 2008 a prefeitura de Alagoa Grande inaugurou o Memorial Jackson do Pandeiro que recebe muitos turistas principalmente no período do projeto turístico do governo do estado Caminhos do Frio.


O escultor J. Maciel é o mesmo autor das esculturas do compositor e cantor paraibano Livardo Alves, do poeta popular Caixa D’água e do Barão do Rio Branco, todas em bronze e instaladas no centro de João Pessoa, pela prefeitura. A escultura em alumínio reciclado, de seis metros de altura, da imagem de Nossa Senhora Penha, na praça ao lado da igreja da Penha, na capital, também é de autoria de J. Maciel.



* Com Josélio Carneiro - Secom(PB).

                       

Deixe o seu comentário







Respeitamos o direito de opinão e expressão. O espaço para comentários é um espaço democrático destinado às opiniões relativas ao texto originalmente publicado.
Não serão publicadas quaisquer mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou, ainda, que desrespeitem a privacidade alheia, que tenham caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, ou, ainda, que tenham linguagem grosseira e/ou obscena.
Não serão publicados comentários que tentam se aproveitar deste espaço democrático para “destacar” outros sítios ou blogues ou, ainda, que tenham por objetivo comercializar produtos ou serviços.
Comentários anônimos, desconexos ou sem sentido em relação ao tema comentado também serão descartados.




Copyright © 2002/2019 - O Bê-á-bá do Sertão - Todos os direitos reservados
Contatos: (0xx83) 99967.1500 - Paraíba - Brasil
E-mail para contatocomercial@obeabadosertao.com.br