O Bê-a-bá do Sertão - Paraíba - Estados do Norte e Nordeste têm os maiores percentuais de benefícios rurais
Política 26.09.2019 - Regime Geral da Previdência Social:

Estados do Norte e Nordeste têm os maiores percentuais de benefícios rurais

     
Compartilhe

Estados do Norte e Nordeste têm os maiores percentuais de benefícios ruraisMaranhão, Piauí e Tocantins: mais de 60% dos benefícios da Previdência Social são rurais.

Os Estados do Maranhão, Piauí e Tocantins são os estados com maior proporção de benefícios rurais: 73%, 65% e 64% do gasto do RGPS, respectivamente. Norte e Nordeste concentram os maiores percentuais de benefícios rurais e, por outro lado, têm o menor benefício médio per capita - rural e urbano - do país.

Estados no Norte e Nordeste têm atualmente os maiores percentuais de benefícios rurais pagos no Regime Geral (RGPS). Os dados por estado estão compilados neste 
infográfico interativo e compreendem, também, valor médio per capita e valor de cada tipo de benefício, rural ou urbano. Maranhão, Piauí e Tocantins são os estados com maior proporção de benefícios rurais frente ao orçamento do RGPS: 73%, 65% e 64%, respectivamente.

Por outro lado, são também os estados que têm as menores taxas recebimento de benefícios previdenciários frente à população total - no Maranhão, apenas 13% da população recebe benefícios previdenciários, enquanto no Tocantins e no Piauí esses números são de 11% e 17%, respectivamente. No Rio Grande do Sul, maior taxa nacional, esse número é de 22% (dados de 2018).

Os valores per capita também estão entre os menores do Brasil – R$ 896 no Maranhão, R$ 962 no Tocantins e R$ 941 no Piauí. Para efeitos de comparação com estados que detêm maior benefício per capita, o benefício médio do Rio de Janeiro é de R$ 1.500 e, de São Paulo, R$ 1.564.


Essas diferenças estão associadas aos níveis históricos de industrialização e desigualdades regionais presentes no país. Em estados mais ricos e industrializados, os trabalhadores tendem a se aposentar antes (por tempo de contribuição) e com valores maiores, o que acabará com a Reforma da Previdência em tramitação no Senado.

No Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro, as aposentadorias por tempo de contribuição representam, respectivamente, 36%, 38%, 41% e 38% dos gastos do RGPS.

Já no Maranhão, Piauí e Tocantins, esses números são de 6%, 8% e 5%, enquanto as aposentadorias por idade representam 46%, 45% e 42% deste mesmo orçamento.


Veja os dados completos e mais detalhes do que mudou com a Reforma da Previdência neste 
infográfico interativo.

                       

Deixe o seu comentário







Respeitamos o direito de opinão e expressão. O espaço para comentários é um espaço democrático destinado às opiniões relativas ao texto originalmente publicado.
Não serão publicadas quaisquer mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou, ainda, que desrespeitem a privacidade alheia, que tenham caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, ou, ainda, que tenham linguagem grosseira e/ou obscena.
Não serão publicados comentários que tentam se aproveitar deste espaço democrático para “destacar” outros sítios ou blogues ou, ainda, que tenham por objetivo comercializar produtos ou serviços.
Comentários anônimos, desconexos ou sem sentido em relação ao tema comentado também serão descartados.




Copyright © 2002/2019 - O Bê-á-bá do Sertão - Todos os direitos reservados
Contatos: (0xx83) 99967.1500 - Paraíba - Brasil
E-mail para contatocomercial@obeabadosertao.com.br