O Bê-a-bá do Sertão - Paraíba - AI DO MUNDO, PORQUE PRECISA DE ESCÂNDALOS
Sady Fernandes Sady Fernandes de Aragão Júnior é Engenheiro Agrônomo e Perito Criminal do Governo do Estado de Rondônia.


24.04.2011 - PORTO VELHO

AI DO MUNDO, PORQUE PRECISA DE ESCÂNDALOS

     
Compartilhe


De todos os investimentos que fiz(foram poucos) o que mais retorno deu, e continua rendendo, foi o que fiz em educação. Tornei-me engenheiro agrônomo o que permitiu, entre outras coisas, fazer empréstimo junto a nossa cooperativa de crédito a juros melhores que os de mercado... Além de permitir uma carreira profissional e inúmeras realizações que, sem o grau de engenheiro, dificilmente teria.


Deixar bens materiais para seus herdeiros pode ser uma boa coisa, mas empregar tempo e dinheiro na formação dos filhos é dar-lhes uma herança que nenhum ladrão, ou plano econômico, poderá roubar. É bem perpétuo. Bem real.


Acredito que todos os pais têm consciência disso, e do poder imenso que tem a escola e a educação formal de trazerem benefícios pessoais e sociais. Seja como porta de entrada para um conhecimento mais amplo da realidade, seja como degraus da escada que nos conduz a níveis mais altos de consciência e responsabilidade.


Sob esse aspecto, todo o ambiente escolar e seus participantes revestem-se de um quê de místico, de sagrado e de exemplar, no mínimo.


Sábios já definiram que o contrário de sagrado é o profano. E também que, quando o sagrado não está presente, pela lei da inexistência do vácuo, em seu lugar instala-se o profano.


Atualmente, exemplos de profanação sobejam nas artes, na política e na religião. Seria maçante enumerá-los, mas todos começam com pequenas transigências. Um pequeno desrespeito ali, outro acolá.


Aos poucos, o espaço onde deveria manifestar-se o sagrado vai sendo profanado. O que deveria elevar, avilta. De aviltamento em aviltamento surge o cinismo. A desfaçatez dos patifes surge triunfante a luz clara do dia, com sorriso cínico e modos sem controle, satisfazem seus baixos instintos ao conspurcar e perverter os nobres objetivos da virtude.


Contudo, como alertou o Divino Mestre, o escândalo sempre vem para denunciar o que de errado existe e está encoberto pela poeira da hipocrisia. Sempre haverá o louco para detonar a fachada, as vezes já nem tão brilhante, do templo profanado.


Com freqüência assustadora alunos ou ex-alunos praticam atos de extrema violência contra colegas e professores da sua instituição de ensino.


Há algo de podre, e muito podre, no recesso daquelas instituições.


Seria o bulling? A diminuição do status social dos professores? A prática de “passar” todo mundo para que o índice de reprovação não fique muito alto? Estaria a estrutura física das escolas deficiente? Ou os pais tem que trabalhar tanto para satisfazer as necessidades modernas que não têm tempo para cuidar da educação dos filhos?... Sei lá! Mil coisas....


Fica claro que o ato extremado do atirador do realengo foi fruto de doença mental. O cara era louco, mas seu ato doentio deveria chamar atenção para a triste realidade do ensino(dever da escola) e da educação(dever de todos - pais, mestres, governantes, etc...).


É um evento bombástico que diz que nem a escola, nem o lar, nem o templo e, muito menos, as demais instituições sociais estão cumprindo o seu papel de alavancar vidas no sentido do melhor.


O louco é apenas o sintoma. A doença está no organismo todo.


Sabermo-nos doentes chama-nos a terapia curativa. Ignorar conduz a morte.


Precisamos(e sempre temos a oportunidade de) criar o espaço do crescimento, da consciência, da decência, do mérito e do progresso. Façamos isso, para que não sejam necessários novos escândalos.





.
 




Deixe o seu comentário







Respeitamos o direito de opinão e expressão. O espaço para comentários é um espaço democrático destinado às opiniões relativas ao texto originalmente publicado.
Não serão publicadas quaisquer mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou, ainda, que desrespeitem a privacidade alheia, que tenham caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, ou, ainda, que tenham linguagem grosseira e/ou obscena.
Não serão publicados comentários que tentam se aproveitar deste espaço democrático para “destacar” outros sítios ou blogues ou, ainda, que tenham por objetivo comercializar produtos ou serviços.
Comentários anônimos, desconexos ou sem sentido em relação ao tema comentado também serão descartados.




Copyright © 2002/2019 - O Bê-á-bá do Sertão - Todos os direitos reservados
Contatos: (0xx83) 99967.1500 - Paraíba - Brasil
E-mail para contatocomercial@obeabadosertao.com.br